Investigação de acidente da Emirates se volta para o fator humano
Acidentes Notícias  /  agosto 8, 2017
Investigação de acidente da Emirates se volta para o fator humano

A investigação sobre o pouso forçado de um avião da Emirates, que resultou na morte de um bombeiro em solo, no Aeroporto Internacional de Dubai, em agosto de 2016, não encontrou problemas com os sistemas ou motores da aeronave, refutando a versão anterior de um trem de pouso defeituoso. Agora, o foco da investigação muda para a equipe.

A investigação sobre o acidente não revelou problemas com os sistemas Boeing Co. 777-300 ou os seus motores Rolls-Royce, afirma o General Civil Aviation Authority, órgão que regulamenta a aviação nos Emirados Árabes. No entanto, a investigação identificou as formas em que a tripulação de voo e o controle de tráfego aéreo poderiam ter se comunicado melhor, mudando o foco de investigação para as ações do piloto durante o pouso e tentativa de mudança.

O Boeing 777-300 da Emirates, que chegou da Índia, realizou um pouso forçado no Aeroporto Internacional de Dubai em agosto de 2016. O acidente, o primeiro de tal escala em toda a história da Emirates, aconteceu quando a aeronave estava pousando depois de um voo de três horas de Thiruvananthapuram (sul da Índia) com 282 passageiros e 18 tripulantes a bordo. Embora não houve vítimas entre passageiros ou tripulantes, um bombeiro morreu enquanto tentava controlar as chamas.

Imediatamente após o incidente, surgiram relatórios que afirmam que a aeronave teve problemas com o trem de pouso. As imagens do avião sugerem que a engrenagem não se estendeu completamente e a aeronave teve que pousar na barriga. No entanto, um relatório posterior, emitido em setembro de 2016 pelo GCAA, disse que o piloto não abortou o pouso depois que a roda da aeronave já havia tocado no solo.

A aeronave, um registro Boeing 777-300 A6-EMW possuía motores Rolls-Royce Trent 800. O avião foi entregue à Emirates em março de 2003. Tanto o capitão como o primeiro oficial tinham mais de sete mil horas de experiência de voo cada.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.


*


@diariodeaviacao
EnglishPortuguese