17/07 – Uma data triste para a Aviação
Acidentes Notícias  /  julho 17, 2017
17/07 – Uma data triste para a Aviação

17 de julho é uma data triste para a Aviação, visto que nesse mesmo dia já são contabilizados 5 grandes acidentes que tiraram a vida de 812 pessoas.

O primeiro ocorreu em 1948 com a Cathay Pacific, onde 25 pessoas morreram e uma sobreviveu após tentativa de sequestro da aeronave; em 1996 o voo TWA 800 explodiu após decolar do aeroporto JFK, onde 230 pessoas morreram; no ano de 2000, um avião da Alliance Air caiu a dois quilômetros do aeroporto com 60 pessoas; em 2007, no aeroporto de Congonhas-São Paulo, a aeronave da TAM ultrapassou os limites do aeroporto, atravessou a Av. Washington Luiz, e chocou-se contra um prédio da TAM Express, matando as 189 pessoas a bordo e 12 que estavam em terra; e, em 2014 a maior perda de pessoas, onde um avião da Malaysia Airlines foi derrubado por um míssil enquanto sobrevoava na Ucrânia, tirando a vida de 298 pessoas.

Falaremos aqui sobre o acidente da TAM, que já teve apresentado o Relatório Final. Antes, vamos falar um pouco da “famosa” e “temida” pista de Congonhas.

Em relatórios disponíveis no site da Infraero, somados os voos regulares e os voos não regulares, temos os seguintes números dos últimos 10 anos somente para o Aeroporto de Congonhas (CGH – SBSP):

Verificamos mais de 2 milhões de pousos e decolagens, tendo como volume de passageiros a marca de mais de 167 milhões.

Nada disso poderá devolver a vida daquelas 199 pessoas, mas reforça que a aviação é segura e que os procedimentos adotados surtiram, ou contribuíram, para que fosse evitado um novo acidente, podendo destacar o quanto a segurança de voo foi melhorada desde então, e apesar de acidentes serem trágicos, nos ensinam muito.

Já que um acidente aeronáutico não tem apenas um fator, sabemos pelo Relatório que a causa deste acidente foi preponderantemente a fadiga da tripulação técnica. Por tratarem-se de pessoas, assim como qualquer um, estão suscetíveis a erros, e nunca saberemos quais eram as preocupações daquela tripulação, medos, incertezas, pressões, etc…

Semana passada, foi aprovada a Nova Lei do Aeronauta no Senado Federal, que tramitava por mais de seis anos, e visa garantir melhorias nas condições de trabalho e segurança de voo para pilotos e comissários, beneficiando não somente estes profissionais, mas a sociedade como um todo.

Lembrar os acidentes é obrigação daqueles que vivem a aviação, pois assim honraremos aqueles que faleceram e deixaram um legado de segurança e aprendizado para nós.

Deixe uma resposta

Seu email não será publicado.


*


@diariodeaviacao
EnglishPortuguese